Garimpo no Brasil e na América do Sul: desmatamento enorme

Garimpo no Brasil e na América do Sul

Entre os anos de 2001 e 2013, cerca de uma cidade de São Paulo - 1.680 km² - de floresta tropical foram degradadas para a atividade ilegal do garimpo na América do Sul. O garimpo no Brasil levou ao desmatamento de 183 km² de vegetação nativa só no estado do Pará.

A corrida pelo ouro foi, inclusive intensificada após o ano de 2007, momento da grande crise internacional. Nas florestas tropicais sul-americanas, 89% da extração mineral é feita em quatro regiões.

No Brasil, a situação mais grave é a do estado do Pará, em uma zona entre os rios Tapajós e Xingu, que levou à perda de 183 km² de vegetação nativa. Florestas como as da Guiana, da Amazônia peruana e a margem de rios colombianos também estão no horizonte de expectativa de ação dos garimpeiros.

Para fazer um acompanhamento mais rigoroso da situação, pesquisadores da Universidade de Puerto Rico-Río Piedras, foram responsáveis por criar um banco de dados com abordagem geográfica, para apontar a localização de todas as minas que foram iniciadas no período de 13 anos (2000 – 2013). Ao finalizar esse levantamento, houve cruzamento de dados com o desmatamento florestal na época.

Com o consumo do ouro em aumento e mercados financeiros casa vez mais inseguros, passou-se a ter o seguinte cenário: o garimpo levou ao aumento da exploração do ouro de 2.445 toneladas em 2000, para 2.770 toneladas em 2013, a um preço 5 vezes mais alto.

Com o objetivo de promover a diminuição no desmatamento ligado à mineração em florestas tropicais é importante levar ao consumidor final, inclusive, um conjunto de razões que exponham o porquê de não se adquirir joias sem o conhecimento da sua procedência, já que a extração do ouro está ligada não apenas aos diversos impactos ambientais que causam, mas também à exploração infantil.

E, se aparentemente, a questão do desmatamento parece ser de menor importância, os danos em longo prazo são incomensuráveis, pois mexem em padrões de chuva, em perda de vida animal, em assoreamento de rios e maior liberação de gases formadores do efeito estufa na atmosfera. E o Brasil também não se preocupa com a exploração de vizinhos, o que acaba levando brasileiros a trabalhar no garimpo, fora da fronteira do Brasil, o que é um crime e ajuda a agravar o quadro.

Leia também: A perigosa vida das crianças nas minas de ouro da Tanzânia

Fonte foto: wikipedia.org