Ban Ki-moon manifestou discreto otimismo na COP20

Ban Ki-moon

Em sua oitava Conferência das Partes como Secretário Geral da ONU, Ban classificou sua mensagem como sendo de “esperança e urgência”. Após fazer referência aos compromissos anunciados por China e Estados Unidos, e ao Pacote de Energia e Clima para 2030, da União Europeia, o Secretário-Geral alertou: “temos que agir agora”.

Os EUA assumiram compromisso de emitir, até 2025, 26% a 28% menos gases causadores de efeito estufa em comparação ao que emitiram em 2005.

A China pretende atingir o auge de suas emissões de gases-estufa até 2030, quando projeta que suas emissões começarão a diminuir, sendo que 20% da energia consumida no país será produzida a partir de fontes renováveis.

Já o pacote europeu inclui redução de emissões em 40% na comparação com o ano de 1990, e a meta de que no mínimo 27% da energia consumida pelo bloco em 2030 seja proveniente de fontes renováveis ou aumento de eficiência energética.

Outro bom augúrio foi o atingimento da marca de US$ 10 bilhões pelo Fundo Verde, que tem por objetivo o suporte financeiro e tecnológico aos países em desenvolvimento para lidar com questões ligadas ao aquecimento global e à adaptação à mudança climática. A meta é arrecadar US$ 100 bilhões até 2020.

Nas palavras do Secretário-Geral da ONU, “apesar desses passos positivos, estou profundamente preocupado se nossas ações em conjunto correspondem às nossas responsabilidades coletivas.”

Ele também ressaltou que “ainda há uma chance de ficar dentro do teto internacionalmente estabelecido de menos de 2ºC de aumento de temperatura global. Mas a janela de oportunidade está se fechando rapidamente.”

A COP20 em Lima se encerra amanhã (12), e espera-se que mais países estabeleçam metas individuais, abrindo caminho para as negociações que acontecerão na COP21, em Paris, em 2015, quando se assumirão os compromissos que vigerão a partir de 2020, e que se espera sejam suficientes para conter o aumento da temperatura global dentro da meta estabelecida. O Brasil ainda não estabeleceu suas metas.

Leia também: Adeus ao desmatamento em 2030?

Fonte foto: ONU/Mark Garten