Conheça o aparelho que pode ser a alternativa à crise hídrica de SP

aparelho que pode ser a alternativa à crise hídrica de SP

Pedro Ricardo Paulino, engenheiro mecatrônico, criou uma máquina que tentará ajudar São Paulo a sair da gravíssima crise hídrica que se abateu sobre a área. O instrumento gera água a partir da condensação da umidade do ar.

Paulino se encontrou com autoridades do governo estadual, do reeleito Geraldo Alckmin, para apresentar seu material, a fim de ser avaliado pelos técnicos da Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, setor do poder público que tem centralizado os esforços para combate à crise da água em São Paulo.

A ideia é que o mecanismo funcione como uma pequena usina de produção de água, mas estando mais próxima às pessoas. O objetivo é o de fazer sistemas complementares de geração de água, para que o consumo passe a ser subdividido, não deixando as pessoas tão reféns de uma única fonte de água.

O sistema Cantareira – responsável pelo abastecimento de água em São Paulo – ainda opera em níveis baixos, entre 11 e 12% de sua capacidade.

Os valores de modelos distintos de suas máquinas são: para a que gera 30 litros de água diários, R$ 6 mil; para a que é capaz de gerar 5 mil litros diários, R$ 350 mil.

As “usinas”, se aprovadas, deverão ser instaladas nas marginais, por conta da elevada umidade do ar – entre 50% e 90% – sendo possível instalar 20 em cada marginal, resultando em um abastecimento de quase 12.500 pessoas.

A invenção se chama Wateair. Fantástico!

Leia também: Fontus: a garrafa d'água que se enche ao pedalar

Fonte foto: aprimorar.com