Convênio entre PNUMA e FAO pela segurança alimentar mundial

Convênio entre PNUMA e FAO

Um outro fruto da Cúpula do Clima vem justamente para a nossa mesa: o PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente - e FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – assinaram um memorando com o objetivo de garantir a segurança alimentar no planeta, através da conservação de ecossistemas e da água.

Como o acordo garante segurança alimentar

O memorando pretende agir em favor da segurança alimentar, por meio da proteção dos ecossistemas essenciais. Se você não entende claramente a relação entre uma questão e outra, é bem simples: um ecossistema pujante e bem equilibrado é capaz de preservar nascentes e a vida; portanto, os alimentos serão garantidos, com mais facilidade e melhor qualidade. Em suma: menos natureza = menos comida.

Essa relação entre ecossistemas e alimentação se revela ainda mais intensa em locais que dependem dos rios e mares para obter o alimento. Se essas áreas secam e/ou estão poluídas, há mortandade de vida marinha, ou falta de condições de alimentação.

Parceria FAO e PNUMA

Esse acordo resulta de um programa de cooperação de ambas as agências mundiais, conforme previu a Agenda de Desenvolvimento pós-2015 e Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

As prioridades do acordo

São quatro as prioridades que envolvem a cooperação entre FAO e PNUMA:

1- O Programa de Alimentação Sustentável – trata-se da efetivação de parte do Programa-Quadro de 10 anos para Consumo e Produção Sustentáveis, que foi abraçado por diversos governos na conferência Rio+20, decorrente do Desafio Fome Zero, realizado pelo Secretário-Geral da ONU, entre outras ações.

2- Aplicar iniciativas de ampliação e melhoria à sustentabilidade e produtividade de ecossistemas, sejam marinhos, aquáticos e terrestres, garantindo a proteção de funções ecossistêmicas fundamentais.

3- Dar mais transparência e acessibilidade para dados referentes ao monitoramento de uso de recursos naturais, bem como de todo o progresso na busca pelos ODS .

4- Implementação para mecanismos de governança que sejam capazes de apoiar uma dimensão mais social de sistemas de alimentação saudável, bem como da própria gestão dos ecossistemas.

Fonte foto: pnuma.org.br