Cromatógrafo H: aparelho mede quantidade de agrotóxicos nos alimentos

agrotóxicos

A tecnologia, quando usada para a finalidade de melhorar a vida das pessoas, deve ser celebrada com apoio financeiro para que as pesquisas com essa finalidade sejam sempre realizadas. 

Uma técnica, que acaba de ser desenvolvida pela Universidade de Brasília (UnB), em um convênio com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater- Brazlândia), criou um equipamento que detecta agrotóxicos em frutos e hortaliças, o Cromatógrafo H.

Em uma entrevista ao programa Brasil Rural, da EBC, a professora de Química da UnB, Maria Hozana Conceição, explica como funciona o aparelho: “Esse cromatógrafo H pode fazer uma avaliação do que estamos comendo. Então podemos ter mais cuidado com os agricultores, levar esses dados analíticos, conversar com a Emater e prevenir futuras exposições".

A importância desse equipamento é prevenir a exposição diária a resíduos químicos a que a população e produtores rurais estão expostos. Segundo a professora, "a exposição aguda é uma outra linha de trabalho que podemos investigar. A intenção agora é confirmar em que nível está o problema para que o agricultor possa se adaptar e para que campanhas de conscientização possam ser desenvolvidas. Inseticidas, nicotina e substâncias derivadas do petróleo já podem ser rapidamente identificadas em alguns alimentos".

Os resíduos dos agrotóxicos que chegam à nossa mesa é uma preocupação cada vez maior que estamos tendo em relação à nossa saúde. Como não temos muitas garantias do que consumimos, muitas pessoas passaram a comprar produtos orgânicos.

Com o cromatógrafo H, é possível detectar a quantidade de resíduos presentes em verduras, legumes e frutas de acordo com as normas de segurança estabelecidas pela Anvisa. Muito agroquímicos se acumulam no nosso organismo e, ao final de muitos anos, a concentração deles pode desencadear problemas de saúde

O cromatógrafo vai permitir parcerias com a Emater e agricultores a fim de comprovar o índice de contaminação de alimentos. Os produtores também ficarão mais protegidos, porque eles ficam expostos ao resíduos tóxicos diariamente. A Emater os orienta a usarem os equipamentos de proteção, mas muitos não fazem uso deles. O efeito dos agrotóxicos é cumulativo para quem produz e para quem consome os alimentos.

O aparelho funciona da seguinte forma: ele extrai os compostos presentes em um alimento e, uma vez extraídos esses compostos, o cromatógrafo identifica a quantidade de agrotóxicos na amostra retirada para ser analisada.  Com a análise desses compostos, a produção alimentar pode se tonar mais suave e saudável para todos e, também, para o meio ambiente.

A terra pode ser renovada sem a aplicação de agrotóxicos. Quando o poder público, por meio de pesquisas, atua junto com os agricultores, estes recebem de forma aberta os processos que podem melhorar a sua produção e, também, os consumidores, que se sentem amparados pelos mecanismos de fiscalização governamentais.

Especialmente indicado para você:

OMS: 5 AGROTÓXICOS CLASSIFICADOS COMO CANCERÍGENOS PARA OS SERES HUMANOS

5 DICAS PARA ELIMINAR O AGROTÓXICO DAS FRUTAS E VERDURAS