Brasileira inventa app para economia d'água na agricultura

app para economia

A administradora Mariana Vasconcelos conquistou uma bolsa de estudos da Singularity University, no Vale do Silício, na Califórnia, graças à criação de um aplicativo que possibilita ao agricultor um melhor controle da quantidade de água a ser usada em suas plantações. A Singularity University funciona em um centro de pesquisas da Nasa e selecionou jovens empreendedores de 19 países para o programa de imersão “Call to Innovation”.

Segundo o site do Agrosmart explica, o app Agrosmart é um produto de tecnologia digital especialmente criado para beneficiar a agricultura de precisão, com o uso de sensores, dados meteorológicos, processamento de imagens e uma aplicação baseada em Cloud Computing.

O Agrosmart, assim se chama esse aplicativo futurista de Mariana Vasconcelos, conecta o agricultor à sua plantação através de sensores inteligentes dispostos no campo e transmite, em tempo real, informações necessárias para os processos de irrigação, fertilização, entre outros. O Agrosmart recolhe, cataloga, analise e divulga parâmetros de umidade do solo, presença de pragas, entre outros parâmetros. O aplicativo interpreta esses dados, e indica ao agricultor o tempo dos intervalos de irrigação, além de outras informações, em tempo real. O agricultor que usar essa nova tecnologia poderá, com um só clique, fazer a verificação de campo para determinar todas as ações necessárias, isso sem precisar sequer pisar no barro. Também terá nos arquivos digitais deste aplicativo os dados históricos da produção e o mapa das ações realizadas assim como as previsões futuras de ações necessárias. Realmente, é ter o campo na palma da mão e o céu a seu dispor.

De acordo com a estudante, a nova tecnologia proporciona uma economia de água que pode chegar até a 60%, e toda economia é bem vinda já que, cerca de 70% da água do nosso país é usada na agricultura, segundo informações da Agência Nacional de Águas (ANA).

Além da economia de água, Mariana afirma que o aplicativo também gera economia de energia elétrica e o aumento da produtividade. A estudante garante que o manuseio do app é simples, pois segundo ela, foi tomado todo um cuidado para que ele falasse a língua do agricultor.

Até o momento, o Agrosmart está sendo testado em duas fazendas de Minas Gerais. A previsão é que a comercialização do aplicativo comece a ser feita no mês de maio. A meta de Mariana é que até julho, mais dez fazendas estejam fazendo o uso do app, e até o final do ano, ela espera que esse número chegue a 35.

Em junho, Mariana embarca para os EUA. A bolsa conquistada pela estudante custeia suas despesas com passagem, hospedagem e alimentação. Quando voltar ao Brasil, ela terá direito a um MBA na faculdade de tecnologia da Fiap, representante do programa da Singularity no Brasil.

Plantações "mais" inteligentes - agricultor mais conectado. Isso é o que os novos tempos pedem? Parabéns Maraiana!

Leia também: Agricultura sustentável: um App para reduzir o uso de pesticidas

Fonte foto: agrosmart.com.br