Boicote dos pais aos ovos de páscoa temáticos

ovos de pascoa

A páscoa é uma das épocas no ano em que as maiores marcas de chocolate investem em embalagens publicitárias e brindes com os personagens dos contos de fada, dos desenhos da Disney e até das histórias em quadrinhos da Turma da Mônica, para atrair a criançada. Mas este artifício não tem dado muito certo com alguns pais não!

Famílias, blogs e entidades de defesa dos direitos da criança e do consumidor levantam a questão sobre o consumo consciente durante a páscoa. O cenário econômico que o país vive atualmente e diminuiu o poder de compra dos brasileiros, também afeta a venda dos ovos de páscoa mais caros, que são justamente os das campanhas e brindes com personagens famosos.

Assim, a opção de muitas famílias tem sido a confecção de ovos em casa ou a compra de produtos artesanais.

É interessante perceber que o assunto ganha força exatamente no período em que se completa um ano após a publicação da resolução do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), considerando abusiva a publicidade dirigida para as crianças. A resolução irritou várias empresas e ícones infantis como Maurício de Sousa, criador da Turma da Mônica e afetado direto por conta do alto processo de licenciamento que sua companhia faz para lucrar com os personagens das histórias em quadrinhos.

 “A resolução identificou uma proibição que já existia no Código de Defesa do Consumidor. Qualquer produto alimentício que coloca o elemento infantil para atrair está fazendo uso da falta de experiência da criança para atraí-la”, afirma Desirée Ruas, integrante da Rede Brasileira Infância e Consumo (Rebrinc)

A publicação não impediu que os produtos infantis continuem com a propaganda forte em todo o território nacional, o que significa que é será preciso muito mais do que uma resolução, é necessária a intervenção dos pais para impedir que as crianças se deixem levar por tanto marketing com seus personagens favoritos e acabem consumindo produtos (como os ovos de páscoa) excessivamente.

As escolhas de muitos pais é oferecer ovos caseiros feitos por conhecidos, parentes ou até por eles mesmos, integrando as crianças no processo e tornando tudo mais divertido para todos.

E aqueles que têm filhos não muito chegados em chocolate, a fase de insistência para comer o que todas as crianças comem, deu lugar a criativas receitas artesanais com o que a crianças mais gosta, e ainda em doses muito mais controladas do que seria um ovo de páscoa. Bom para o bolso e bom para a saúde dos filhos.

Lembrando sempre que não existe “brinde”. Já foi comprovado por um levantamento feito pelo Movimento Infância Livre do Consumismo, onde a grama do produto sem brinde varia entre R$0,11 a R$0,15, e entre os que têm o brinquedo a grama varia entre R$0,18 e R$0,25.

O que serve como um incentivo a se juntar aos pais que não compram ovos de personagens e deixam os “brindes” para trás, dando lugar a algo muito mais criativo, menos apelativo, e muito mais econômico.

Boicote os ovos de páscoa temáticos você também!

Leia também: Suíça: chega de guloseimas nos caixas de supermercados. Frutas no lugar delas!

Fonte foto: freeimages.com