Cozinhar com papel alumínio: os perigos que você não imagina (e que as empresas negam)

De um modo geral, as pessoas sabem que é bom evitar o contato do papel alumínio com alimentos crus e ácidos. Essa informação, aliás, às vezes vem escrita na embalagem do produto. No entanto, não são igualmente sublinhados pelos fabricantes os riscos de cozinhar com esse item tão comum nos lares.

Recentemente, uma reportagem televisiva na Itália, o país da cozinha, trouxe o tema à tona: após dois anos de investigações, os repórteres conseguiram demonstrar o perigo do papel alumínio na cozinha. A repercussão do caso pressionou o Ministério da Saúde italiano a investigar o assunto e o órgão governamental chegou às mesmas conclusões.

Os resíduos de alumínio migram para os alimentos e, por isso, não se deve envolvê-los diretamente no papel prateado. Mas, e quanto ao cozimento?

Infelizmente, a história não muda. Mesmo nesse caso, o uso é perigoso e das duas uma: ou os fabricantes não estão cientes disso ou estão deliberadamente se fazendo de desentendidos.

Se buscarmos ler o que está escrito na embalagem ou nos sites dos fabricantes dos produtos, perceberemos que, entre as várias dicas de utilização consta o cozimento de alimentos.

Fato é que, até 2017 pelo menos, o risco de migração de alumínio para os alimentos devido ao calor foi subestimado e o próprio Ministério da Saúde italiano afirmou que:

“O consumo de alimentos cozidos em papel alumínio não representa um risco elevado para a saúde do consumidor”.

Após os novos testes, realizados pelos laboratórios do Instituto Superior de Saúde da Itália (cerca de 500 testes, segundo a publicação Il Salvagente), os perigos foram confirmados. Algo que a a reportagem já havia provado a partir de um experimento duplo, ou seja, assando vários alimentos embrulhados em papel alumínio com ou sem o uso de temperos ácidos.

Esse tipo de condimento, ou alimento, não é absolutamente recomendado exatamente porque favorece a migração de partículas de alumínio para os alimentos, mas o cozimento em papel alumínio apresentou o problema mesmo sem o uso de tais condimentos ácidos, demonstrando, portanto, que os riscos são decorrentes do contato com o calor elevado.

O lanche das crianças

Após esses resultados, o Ministério da Saúde italiano lançou uma campanha sobre o uso correto do alumínio na cozinha, convidando todos os pais a não embrulharem os sanduíches de seus filhos no material. O problema é que as empresas produtoras ainda não ecoaram o alerta e não enfatizam os riscos de se cozinhar com papel alumínio. Ao contrário, exaltam sua funcionalidade para esse fim.

Enquanto isso, é sensato evitar o cozimento com papel laminado tanto quanto possível e reduzir o contato do alumínio com alimentos, tendo cuidado redobrado com gestantes e crianças menores de 3 anos.

Felizmente, existem muitas alternativas: chegou a hora de fazer uso delas! Quem é da geração old school vai se lembrar, os nossos lanches eram embrulhados num guardanapo de papel e depois em um de pano ou mesmo diretamente no de pano.

E você? Qual alternativa ao alumínio daria?

Talvez te interesse ler também:

O teste alemão que aponta os desodorantes que mais contêm alumínio

Carlsberg apresenta a primeira garrafa de cerveja do mundo feita de papel reciclável e sustentável

Além do plástico descartável, Europa está pronta para proibir também as embalagens plásticas

greenMe.com.br é uma revista brasileira online, de informação e opinião Editada também na Itália como greenMe.it
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook