Lichia: é de verdade assim tão perigosa?

  • atualizado: 
lichia

A lichia é uma fruta saborosa e doce, utilizada em diversas receitas. É uma fruta com propriedades rejuvenescedora e emagrecedora. A lichia é rica em vitaminas, antioxidantes e fibras.

Os benefícios da lichia promovem a saúde do coração, a regulação do sangue, tem efeito anti-inflamatório, regula o sistema digestório e o intestino, melhorando a digestão.

Devido à vitamina C contida nessa fruta, a lichia é considerada um antioxidante, atuando na manutenção celular, combatendo o envelhecimento precoce e fortalecendo o sistema imunológico.

Rica em vitamina B6 e potássio, a lichia ajuda a controlar o fluxo sanguíneo, prevenindo problemas do coração e circulação e evitando problemas de anemia e tireoide.

Porém, assim como outras frutas, a lichia tem algumas contraindicações: mesmo sendo uma fruta saudável, o consumo em excesso de lichia pode trazer alguns distúrbios para o organismo. Isso ocorre devido à frutose contida na lichia, que se consumida em excesso é prejudicial à saúde.

Outro fator é que algumas pessoas são sensíveis às propriedades da lichia, podendo apresentar reações alérgicas.

O consumo ideal de lichia é de 3 a 4 unidades por dia, quantidade suficiente para fornecer a vitamina C necessária para o corpo.

Embora a lichia seja uma fruta saudável, o seu consumo de forma inapropriada foi relacionado pelos cientistas como a causa do mal-estar e até morte de crianças na Índia.

Saibam mais como isso aconteceu através do que vem a seguir:

 

1. Se a lichia tem tantos benefícios porque fez mal e até causou a morte de centenas de crianças na Índia?

Centenas de crianças anualmente morreram na Índia, ao longo de pelo menos duas décadas, após consumirem lichia.

Cientistas americanos e indianos investigaram o que na lichia desencadeou essa fatalidade e é isso que será explicado neste conteúdo, para entender melhor esse sério problema.

O mistério que os cientistas desvendaram da causa atrelada ao consumo de lichia e que matou mais de cem crianças é que na lichia existe uma substância chamada hipoglicina, que impede o corpo de produzir glicose, fazendo com que os níveis de glicose no sangue abaixem, mas isso ocorre em casos extremos.

A morte de centenas de crianças na Índia associada ao consumo de lichia e cuja investigação sobre o caso foi publicada na revista científica e médica The Lancet, apontando como causa o fato das crianças terem ingerido a fruta de estômago vazio e em grande quantidade, o que provocou a queda dos níveis de glicose no sangue desencadeando consequências como: convulsão, perda de consciência e até morte.

O estudo apontou que, desde os anos 90, crianças da região de Bihar, no Norte da Índia, aparentemente bem, sofreram convulsões repentinas e perda de consciência. Segundo os médicos, quase metade delas morreu.

A maioria das crianças era de origem pobre e morava na principal região produtora de lichias da Índia. Ninguém compreendia o que estava acontecendo e nem sabia explicar a causa do problema que afetou tantas crianças.

A pesquisa dos cientistas apresentou como indicativo que as crianças, ao comerem as frutas caídas no chão nos pomares de lichia, foram afetadas por determinado princípio ativo da fruta, que age como toxina no corpo, quando ingerido em demasia.

As crianças que não se encontravam em boas condições nutricionais, por isso apresentavam baixos níveis de açúcar no sangue e para agravar ainda mais a situação, provavelmente elas comeram em grande quantidade as lichias.

De acordo com depoimentos dos familiares, as crianças acordaram no meio da madrugada gritando, antes de terem convulsões e ficarem inconscientes devido ao inchaço no cérebro.

Pesquisadores que examinaram as crianças internadas em Muzaffarpur, na India, entre maio e julho de 2014, associaram o que ocorreu com as crianças indianas ao surto de doença que causou inchaço cerebral e convulsões em crianças no Caribe, e que foi atrelado, pelas pesquisas científicas, ao consumo do fruto ackee, que contém hipoglicina, a mesma substância tóxica encontrada na lichia e que impede o corpo de produzir glicose.

A glicose é o nutriente de vital importância para o cérebro, se algo provoca a sua falta gera fraqueza excessiva, tontura, perda de memória, sonolência e ao atingir um nível muito baixo, pode desencadear a morte.

Os médicos da região recomendaram, para os moradores, não deixarem as crianças muitas horas sem se alimentar e que controlem a quantidade de lichias consumidas, diariamente, por elas e alertaram para o caso de alguma criança apresentar sintomas associados ao consumo de lichia receberem pronto tratamento para a hipoglicemia ou baixo nível de açúcar no sangue.

2. A química dos alimentos

Disso tudo é possível concluir que cada alimento têm seus princípios ativos e por isso deve ser consumido de forma adequada, na devida porção diária recomendada, pois em excesso pode fazer mal.

Cada alimento tem sua química que interfere no corpo, desencadeando reações químicas no organismo. Quando o alimento é consumido de forma imprópria vem o desequilíbrio orgânico e a doença.

O alimento consumido de forma adequada e balanceada produz a energia e nutrientes que o organismo necessita, promovendo saúde e bem-estar.

Talvez te interesse ler também:

GRAVIOLA CURA CANCER? VERDADE OU MENTIRA?

ALHO → CONTRAINDICAÇÕES DE USO

NONI: VEJA PORQUÊ É PROIBIDA NO BRASIL

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!