Cúrcuma - O que é, como consumir e onde comprar?

  • atualizado: 
Cúrcuma

Você sabe o que é cúrcuma? Muito se fala sobre ela, porém muitas pessoas a confundem com o açafrão, que é o pistilo de uma flor chamada Crocus sativus. Isso acontece porque a cúrcuma também recebe o nome de açafrão-da-terra, que é outra planta completamente diferente e, apesar de oferecerem muitos benefícios, não devem ser confundidas uma com a outra. 

Essa introdução foi mais para esclarecer uma dúvida que muitas pessoas, assim como eu, podem ter ao associar a palavra “açafrão” à cúrcuma, mas hoje vamos falar mais especificamente do açafrão-da-terra, que é o nome mais correto da cúrcuma.

O açafrão-da-terra costuma ser mais acessível do que o açafrão e, além de ser comercializado em pó ou a própria raiz, ele também é vendido em forma de cápsulas como suplemento, pois nem todas as pessoas conseguem consumir a quantidade necessária de cúrcuma para se obter todos os benefícios que ela oferece.

Por isso, algumas empresas investiram na produção de suplementos de cúrcuma para atender a demanda de pessoas que buscam alternativas saudáveis de suplementação e que descobriram na cúrcuma inúmeras propriedades curativas e preventivas para a saúde. Vamos descobrir quais são elas?

 

1. O que é cúrcuma?

A cúrcuma é uma planta herbácea da família do gengibre e seu nome científico é Curcuma longa. Ela também pode ser chamada de açafrão-da-terra, turmérico, raiz-de-sol, açafrão-da-índia, açafroa e gengibre amarelo. Teve sua origem na Ásia, mais especificamente na Índia e Indonésia, e sua principal característica é a cor amarela que transfere aos alimentos.

Ela possui ramificações laterais compridas, na qual a parte que se utiliza é denominada de rizoma (raiz), que possui uma cor acinzentada por fora e alaranjada por dentro. Dessa raiz é que se extrai o pó, através do processo de moagem da raiz seca, porém é possível utilizar a cúrcuma das duas formas, tanto a raiz fresca como o pó. Além disso, existem também as cápsulas de cúrcuma, as quais são utilizadas como suplementos e contém uma quantidade concentrada do pó.

Normalmente a cúrcuma é bastante utilizada na culinária indiana para colorir diversos tipos de pratos, principalmente o arroz, onde deve ser dissolvido em um caldo quente antes de ser incorporado à receita. Ela também é um dos componentes do curry, outro tempero indiano muito utilizado para dar cor e sabor aos pratos.

Mas além de ser usada como condimento, ela vem se mostrando ser muito eficaz como um alimento medicinal, pois em muitos estudos foram provadas suas propriedades curativas. Graças à ação da curcumina, componente medicinal principal da planta, pesquisas apontam que é possível até mesmo a substituição de alguns medicamentos específicos pela cúrcuma.

No próximo tópico, falaremos sobre todos os benefícios da cúrcuma para a saúde.      

2. Benefícios da cúrcuma

Quem não sonha em substituir medicamentos por alimentos? Com a cúrcuma isso é possível, pois ela é capaz de substituir:

  • As estatinas no controle do colesterol
  • Os corticosteróides
  • Antidepressivos como Prozac, Fluoxetina e Imipramine
  • Anti-inflamatórios como aspirina, ibuprofeno, naproxen, diclofenaco, dexamethasona, entre outros
  • Anticoagulantes como o ácido acetil salicílico
  • Quimioterápicos como Oxaliplatin
  • Metaformin no controle de diabetes

E os benefícios da cúrcuma não param por aí. Apenas 3 gramas, o equivalente a uma colher de chá, por dia é capaz de fazer melhorar diversos aspectos da nossa saúde. Dentre os efeitos da cúrcuma no corpo, podemos citar:

  • Menos dores - Devido à sua ação anti-inflamatória, a cúrcuma ajuda a desinflamar o corpo no geral, aliviando os sintomas causados por algumas doenças e diminuindo as dores.
  • Faz bem ao coração - A curcumina, que é o princípio ativo da cúrcuma, faz uma limpeza nas artérias removendo placas e prevenindo a coagulação do sangue, melhorando inclusive a sua circulação.
  • Turbina o cérebro - A curcumina também tem propriedades neuroprotetoras que ajudam a prevenir doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e o Parkinson, além de melhorar a cognição.
  • Combate o câncer - De acordo com estudos comprovados, a curcumina também é capaz de combater leucemia, câncer no estômago, mamas e ovários, dentre outros.
  • Evita artrite reumatóide - Também devido ao poder anti-inflamatório, é possível combater artrite reumatóide com o consumo frequente de cúrcuma na alimentação.
  • Auxilia a digestão - A cúrcuma também ajuda a melhorar a digestão, só não é indicada para quem sofre com inflamação na vesícula biliar.
  • Promove bom humor - Por ser um poderoso antidepressivo, a cúrcuma ajuda a melhorar o humor se consumida diariamente.

Convencidos dos benefícios da cúrcuma para a nossa saúde? Então vamos ver as melhores formas de consumir para aproveitar todos esses benefícios.

3. Como consumir a cúrcuma?

A recomendação diária do consumo de cúrcuma é de 3 gramas, ou uma colher de chá, que pode ser utilizada no preparo do arroz, feijão, sopas, caldos, saladas e até mesmo no suco! Basta colocar essa quantidade da cúrcuma tanto fresca, com sua raiz cortada em rodelas, ou o pó mesmo, misturado na água do preparo desses alimentos.

Mesmo assim, existem pessoas que não consomem a cúrcuma porque não gostam do sabor. Por isso, algumas empresas americanas decidiram criar os suplementos de cúrcuma que fazem o maior sucesso por lá. Analisando esse mercado, um brasileiro chamado André Edelstein decidiu apostar nesse negócio aqui no Brasil e faz o maior sucesso.

Segundo ele, a ingestão de suplementos é melhor do que consumir o próprio alimento, pois este possui um gosto forte. Ao ingerir as cápsulas, as pessoas não sentem sabor algum e, no quesito medicinal, a regularidade na ingestão das cápsulas promove mais resultados, pois torna-se mais conveniente e mais fácil a administração de quanto se consumiu do produto.

Por isso mesmo recomendamos que os interessados em consumir a cúrcuma em fórmula de cápsulas consultem um médico para avaliar a necessidade e para prescrever um produto de qualidade, bem como a quantidade certa para consumo, pois assim como todo e qualquer produto medicinal, este também possui contra-indicações. Veja se não é o seu caso.

4. Onde comprar a cúrcuma ?

Tanto o pó quanto a própria raiz são vendidos em feiras e mercados. Já os suplementos de cúrcuma em cápsulas podem ser adquiridos pela internet ou pelo telefone, mas não recomendamos que comprem sem antes consultar um médico, principalmente para orientar e alertar sobre marcas disponíveis e produtos duvidosos.

Sabemos que, da mesma forma que os medicamentos convencionais, a indústria de suplementos tem crescido bastante, muitas vezes visando apenas o lucro. São raras as que realmente se preocupam com a saúde dos clientes e com a qualidade dos produtos que oferecem. Por isso, uma vez indicado o uso de cúrcuma em cápsulas, vale a pena pesquisar, investigar e comprar com segurança.

A empresa do entrevistado André Edelstein, por exemplo, parece ser bem confiável, pois presta informações de segurança sobre o produto, inclusive sobre a própria produção das plantas para posterior fabricação das cápsulas. Vale a pena conhecer toda e qualquer informação que nos é prestada.

Veja também:  COMO PLANTAR CÚRCUMA, O AÇAFRÃO-DA-TERRA

5. Contraindicações

Como diz o ditado “tudo em excesso faz mal”, e com a cúrcuma não é diferente. Se consumida em excesso, a cúrcuma pode causar efeitos como dores de estômago, náuseas, gases, indigestão, podendo aumentar o ácido estomacal e provocar úlceras.

Além disso, o consumo de cúrcuma não é indicado nas seguintes situações:

  • Mulheres grávidas e que estão amamentando - pode provocar problemas digestivos ou hemorragias que levam ao aborto.
  • Cálculos renais - o consumo de cúrcuma pode piorar a situação, bem como para os cálculos de vesícula.
  • Cirurgias - indicado evitar o consumo de cúrcuma alguns dias antes e depois da operação.
  • Hipertensão - devido ao fato de baixar a pressão, pode causar interferência nos medicamentos para estes casos.
  • Medicamentos anticoagulantes - a cúrcuma pode interagir negativamente com medicamentos como aspirina podendo provocar hemorragias e hematomas.
  • Suplementos de ginseng e ginkgo biloba - pelo mesmo motivo do item anterior.
  • Vesícula biliar e cólica biliar - pois pode agravar os casos de pedras e cólicas.
  • Doenças no fígado - apesar de ser benéfico para alguns problemas no fígado, em casos de doenças hepáticas graves a cúrcuma não é recomendada pois pode agravar a situação.
  • Alergias - algumas pessoas podem apresentar alergias ao pó de açafrão-da-terra ou de sua raiz, podendo ocasionar dermatite de contato.

Gostaram das dicas? Esperamos que tenham sido úteis e lembramos que todo e qualquer tratamento alternativo e natural deve ser acompanhado e avaliado por um médico de confiança. Não abuse da cúrcuma e faça bom proveito dos seus benefícios!

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!