Falta de Vitamina D? Descubra Como Repor e quais Alimentos Preferir

  • atualizado: 
vitamina D

Existe muita confusão a respeito dela. No entanto, ninguém arrisca questionar a sua importância. Veja para serve a vitamina D, o que sua carência pode causar e quais alimentos consumir para repor sua falta.

A importância da Vitamina D 

A vitamina D controla pelo menos 270 genes do corpo humano. É por meio dela que o corpo absorve corretamente o cálcio, por isso a vitamina D é uma protetora do sistema ósseo.

Além disso, ela é essencial na prevenção de uma série de doenças, entre elas vários tipos de câncer, no fortalecimento do sistema imunológico e proteção do coração por meio da produção do hormônio regulador da pressão arterial, a renina, ajudando ainda no relaxamento dos vasos sanguíneos e no bombeamento cardíaco.

Ela é essencial também para as gestantes, pois a ausência desta vitamina pode levar a abortos, bem como a quadros de prê-eclâmpsia, no final da gravidez.

A vitamina D atua também como uma importante aliada no tratamento de doenças autoimunes, como a esclerose múltipla e artrite reumatoide, entre outras.

No entanto, estima-se, que cerca de 80% da população urbana sofra de falta de vitamina D. Saiba agora por que as pessoas têm tanta dificuldade de manter os níveis ideais dessa vitamina e como fazer para obtê-la. 

O que é vitamina D

Há algumas décadas, pensava-se que a vitamina D fosse uma vitamina do mesmo grupo das outras, A, B e C. No entanto, hoje sabe-se que ela é, na verdade, uma espécie de hormônio esteroide, sendo que o corpo humano produz 90% de vitamina D, e apenas 10% vem dos alimentos.

Nesse sentido, a principal forma de obtenção dessa importante substância é a exposição ao sol. A ação dos raios ultravioletas ativa uma mólecula existente na pele e a converte em ativa no fígado e nos rins. 

O que a falta de vitamina D pode causar

Dada a importância da vitamina D, fica evidente o problema que pode ser não tê-la em quantidades ideias no organismo. Entre os principais malefícios da falta dela no corpo, estão: 

  • Problemas ósseos, com o raquitismo em crianças e osteoporose, em idosos
  • Dificuldades de equilíbrio
  • Baixa imunidade
  • Dor e fraqueza muscular
  • Doenças cardíacas
  • Problemas de crescimento em crianças
  • Alterações de peso
  • Maior propensão a vários tipos de câncer
  • Alteração dos níveis de açúcar no sangue
  • Alterações de peso
  • Problemas de memória e raciocínio
  • Em gestantes, maior risco de aborto, desenvolvimento de prê-eclâmpsia e predisposição para que a criança nasça com autismo
  • Maior propensão ao desenvolvimento de doenças autoimunes. 
 

Como repor a vitamina D

Como mencionado, a principal forma de obtenção da vitamina D é por meio da exposição solar, que deve ser feita, sem protetor solar, antes das 10h ou depois das 16h, por cerca de 20 minutos, pelo menos três vezes por semana.

É importante expor braços, pernas, pescoço e rosto.

Outra forma de obtenção da vitamina D é por meio da alimentação. 

Quais alimentos preferir? As melhores fontes de vitamina D

Os alimentos também podem ajudar na obtenção da vitamina D. Alguns deles possuem maior quantidade desse importante hormônio. Os principais são:

  1. óleo de fígado de bacalhau – que ganhou popularidade há algumas décadas justamente por prevenir doenças, como o raquitismo
  2. atum
  3. sardinha
  4. salmão
  5. ostras
  6. ovos
  7. leite
  8. cogumelos
  9. laranja
  10. bife de fígado
 

Vitamina D – Não é necessário suplementar

Especialistas na área se dividem quanto a relevância ou não da suplementação de vitamina D. No entanto, vale lembrar que o excesso suplementar é igualmente nocivo. Por isso, o mais adequado é obter a vitamina D da forma convencional, ou seja, pela exposição solar e alimentação.

Especialmente indicado para você:

setaVITAMINA D: PORQUÊ É IMPORTANTE PARA CRIANÇAS E BEBÊS

setaFÍSICO FORTE, CORAÇÃO SAUDÁVEL E MENOS ESTRESSE COM A VITAMINA D

setaQUE VITAMINA PODE ESTAR FALTANDO EM SEU ORGANISMO?