Estudante brasileiro cria método totalmente natural para conservar frutas

Um biofiltro feito de fécula de mandioca e cravo da índia foi desenvolvido pelo estudante de biologia Josemar Gonçalves de Oliveira, do Instituto Federal de Brasília. O produto é líquido, inteiramente feito de produtos naturais e muito barato, 1 litro sai a R$ 5,00 e é suficiente para proteger cerca de 200 bananas.

O biofiltro, como foi chamado o produto, quando passado nas frutas, cria uma película que as protege de fungos e bactérias aumentando sua vida útil por até mais 10 dias. Após a compra, ao lavar as frutas, o biofiltro é lavado também saindo na água até o forte odor do cravo da índia, que é o único fator adverso da sua aplicação. Não é tóxico e, como é totalmente natural em sua composição, também poderá ser usado nas frutas de origem orgânica, sem que estas percam essa caracterização tão importante.

Esse produto inovador poderá ajudar, e muito, na redução do desperdício de frutas nas feiras e supermercados brasileiros razão pela qual adquire especial interesse a sua utilização visto que, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO, o Brasil é um dos dez países que mais desperdiçam alimentos.

Cerca de 30 % de toda a fruta nacional vai para o lixo. Mas, as razões deste imenso desperdício de alimentos se devem, não só a que as frutas, em pouco tempo perdem suas características de qualidade, sendo contaminadas por fungos ou bactérias, como porque, no transporte e manuseio, muitas frutas resultam machucadas, o que aumenta a incidência desta contaminação, que é agravada tanto pelas temperaturas elevadas como pela umidade excessiva, em nosso clima tropical.

Outro fator importante no desperdício de frutas é a não aceitação, pelo mercado, de produtos despadronizados apesar de saudáveis. E este último fator é inadmissível num mundo que padece de fome. Temos de lutar para que os padrões não sejam absolutos, pois mais importa ter fruta fresca para se comer do que se esta é do tamanho exigido pelos melhores preços.

Quando há fome, carência, os lucros devem perder a supremacia!

Leia também: DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS: CANADÁ VENDE ALIMENTOS "NATURALMENTE IMPERFEITOS”

Fonte foto: youtube.com