PL que pedia fim da rotulação dos transgênicos sai de pauta

  • atualizado: 

foto

Você conhece a PL 4148/2008? Trata-se de um Projeto de Lei apresentado pelo Deputado Federal reeleito Luís Carlos Heinze que propõe uma ementa, alterando e acrescendo dispositivos à Lei nº 11.105, de 24 de março de 2005, na qual estabelece que os rótulos dos alimentos destinados ao consumo humano, não sejam obrigados a informar ao consumidor, sobre a presença de ingredientes transgênicos.

No último dia 25 o polêmico PL saiu de pauta por por 202 votos a 172 no Plenário da Câmara dos Deputados.

Entenda o caso

Em agosto de 2012, o Tribunal Regional Federal da Primeira Região, acolhendo o pedido da Ação Civil Pública proposta pelo Idec e pelo MPF, tornou exigível a rotulagem dos transgênicos independentemente do percentual e de qualquer outra condicionante, garantindo o direito à informação e à livre escolha estabelecidos no Código de Defesa do Consumidor.

Em 29 de abril de 2014 a pauta voltou à tona por conta de uma manobra parlamentar, com um projeto de lei que tratava da separação de produtos transgênicos em prateleiras de estabelecimentos comerciais e a PL de Heinze entrou sorrateiramente por ela, já que tratava de assuntos parecidos.

A parte favorável do Congresso enxerga essa, e todas as outras pautas que não tiveram vez nos últimos anos, como a oportunidade perfeita para aprovarem vários desmandos agora que o Congresso tem a força maior do PMDB. Neste cenário, é difícil que o Governo Federal tenha força para se opor a todas elas, o que deixa a responsabilidade nas mãos do povo que não quer que isso aconteça.

As ferramentas para a luta contra a de PL Heinze, orquestradas mormente pelo Instituto de Defesa do Consumidor - Idec foram: encher a caixa de mensagens dos Deputados Federais, mobilização de organizações dos consumidores, manifestações nas redes sociais e até pessoalmente e, claro, assinar a petição feita pelo Instituto.

Se a PL fosse aprovada o risco para nossa saúde seria alto. Corremos o risco de comprar alimentos como óleo, margarinas, enlatados e até papinhas de bebê, sem saber se há ingredientes transgênicos ou não.

Para se ter uma ideia, cerca de 92,4% da soja e 81,4% do milho do país são de origem transgênica. Os consumidores têm direito à informação (artigo 6º do CDC) sobre o que estamos adquirindo ao comprarmos e consumirmos um produto.

foto

foto: facebook.com.br

Apesar da retirada de pauta do projeto, o Idec pede para que o cidadão e consumidor faça sua parte, continuando a enviar suas mensagens, pois o PL pode voltar à votação a qualquer momento.

Participe clicando aqui.

Leia também: Alimentos geneticamente modificados. O que são? Onde são produzidos? Quais são seus danos?

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!